Psicologia 

soviética

1981/2021


7 páginas

em português

Rubinshtein, S. Ia. “Sobre algumas ideias de L. S. Vigotski na área da patopsicologia”


Um excerto do texto:


“As tentativas de inferir todos os sin- tomas de uma patologia psíquica a partir da causa da doença e, consequentemente, basear nisso o diagnós- tico diferencial, tornam-se menos justificadas. Se todos os sintomas são de- terminados a partir da própria doença, então cada um adquire um signifi- cado, reconhecido ou ainda não reco- nhecido, mas um significado diagnós- tico. Infelizmente, a atividade de uma pessoa doente, seu modo de vida durante a doença, é agora levada em conta de forma extremamente insuficiente na análise psicopatológica. Muda-se as representações sobre a es- sência e as causas da doença (explica- ções morfológicas são substituídas por bioquímicas, genéticas e outras), mas muda-se pouco as maneiras de inter- pretar os sintomas. Eles são determi- nados, em grande parte, pela própria doença, ou seja, de dentro. Enquanto isso, Vigotski estima que os sintomas individuais estão em relação diferente e extremamente complexa com a causa subjacente. “Não se alinha – escreve ele – todos os sintomas em uma série, na qual cada item está em relação com- pletamente {135:} idêntica com a causa que deu origem a toda a série” [ibid., p. 28].” (Rubinshtein, 1981/2021, p. 22)